Chama-se concordância verbal a flexão do verbo em pessoa e número para concordar com o sujeito gramatical. Em número, a flexão ocorre em singular (para sujeito simples) ou plural (para sujeito composto) e em pessoa a flexão ocorre na 1.ª pessoa (eu, nós), 2.ª pessoa (tu, vós) ou 3.ª pessoa gramatical (ele, eles).

Com o verbo ser, a concordância verbal apresenta algumas especificidades. Dependendo das situações, o verbo ser poderá concordar com o sujeito gramatical ou com o predicativo do sujeito.

Verbo ser concordando com o sujeito

  • Eu sou estudiosa.
  • Nós somos estudiosas.
  • Ele será um excelente advogado.
  • Eles serão uns excelentes advogados.

Verbo ser concordando com o predicativo do sujeito

  • Isto é mentira!
  • Isto são mentiras!
  • Quem é você?
  • Quem são vocês?

Em que situações o verbo ser concorda com o predicativo do sujeito?

O verbo ser concorda com o predicativo do sujeito, ficando no singular se o predicativo do sujeito estiver no singular e no plural se o predicativo do sujeito estiver no plural com os seguintes sujeitos:

Pronomes indefinidos: tudo, nada, ninguém e nenhum;
Pronomes demonstrativos: o, isto, isso e aquilo;
Pronomes interrogativos: que, o que e quem;
Expressões de sentido partitivo: a maioria, o restante, o resto, o mais,...

Exemplos de concordância com o predicativo do sujeito:

  • Você acha que tudo são flores?
  • Aquilo são baratas?
  • Que são estas encomendas?
  • A maioria são analfabetos.

Outro caso de concordância com o predicativo do sujeito

Na indicação de noções temporais e espaciais, o verbo ser atua como um verbo impessoal. Assim, sendo uma frase sem sujeito, a concordância é feita com o predicativo do sujeito:

  • Já é uma da manhã!
  • Já são duas da manhã!
  • É só mais um quarteirão.
  • São só mais dois quarteirões.

Concordância verbal com o sujeito ou com o predicativo do sujeito

A concordância verbal poderá ser feita com o sujeito ou com o predicativo do sujeito sempre que um desses termos for representado por um pronome pessoal reto. A concordância verbal deverá ser sempre feita de acordo com o pronome. Quando os dois termos são representados por pronomes, a concordância é feita com  pronome reto que tem a função de sujeito da frase:

  • Ele era as piadas da família.
  • A escola somos nós!
  • Um dia, eu serei ele.
  • Um dia, ele será eu.

Concordância verbal sempre no singular

Quando são usadas as expressões pouco, muito, menos de, mais de, o suficiente, o bastante,… na indicação de quantidade ou medida, o verbo fica sempre no singular, independentemente da quantidade expressa:

  • Cinco litros de refrigerante é muito!
  • Dois quilos de açúcar é o suficiente.
  • Três é demais!

Na expressão é que, cuja função é reforçar um termo da oração. A expressão é que permanece invariável, independentemente do sujeito:

  • Eu é que sou feliz!
  • Nós é que somos felizes!
  • Eles é que são felizes!

Nas expressões é de ver, é de notar, é de reparar,... quando antepostas ao substantivo, o verbo ser permanece sempre no singular, mesmo quando seguido de um substantivo plural:

  • É de notar nos comportamentos inadequados daqueles jovens.
  • Era de ver as condições do apartamento.