Os verbos apresentam flexão em voz. As vozes do verbo indicam se o sujeito gramatical é o agente ou o paciente da ação verbal, ou seja, se pratica ou se sofre a ação.

Existem três vozes verbais no português: ativa, passiva e reflexiva.

Voz ativa: Eu vi o menino no parque.
Voz passiva: O menino foi visto por mim.
Voz reflexiva: Eu vi-me ao espelho.

Voz ativa

A voz ativa é usada quando o sujeito gramatical pratica a ação verbal. Indica, assim, que o sujeito gramatical é o agente da ação.

Frases na voz ativa

  • Eu comi o bolo.
  • Meu filho comprou o chapéu.
  • Os alunos leram os livros.

Voz passiva

A voz passiva é usada quando o sujeito gramatical sofre a ação verbal. Indica, assim, que o sujeito gramatical é o paciente de uma ação que é praticada pelo agente da passiva. 

Conforme o seu processo de formação, a voz passiva pode ser classificada em voz passiva analítica e voz passiva sintética.

Voz passiva analítica

Na voz passiva analítica, as frases apresentam a seguinte estrutura:
sujeito paciente + verbo auxiliar + particípio + preposição + agente da passiva

Frases na voz passiva analítica:

  • O bolo foi comido por mim.
  • O chapéu foi comprado pelo meu filho.
  • Os livros foram lidos pelos alunos.

Voz passiva sintética

Na voz passiva sintética, as frases apresentam a seguinte estrutura:
verbo transitivo + pronome se + sujeito paciente

Frases na voz passiva sintética:

  • Comeu-se o bolo.
  • Comprou-se o chapéu.
  • Leram-se os livros.

Voz reflexiva

A voz reflexiva é usada quando o sujeito gramatical pratica e sofre a ação verbal. Indica assim que o sujeito gramatical é ao mesmo tempo o agente e o paciente da ação. Apresenta, obrigatoriamente, um pronome oblíquo reflexivo (me, te, se, nos, vos, se) que atua como objeto de um verbo na voz ativa.

A voz reflexiva é considerada recíproca quando estão presentes dois sujeitos que praticam e sofrem a ação um do outro.

Frases na voz reflexiva

  • Ele se feriu com a tesoura.
  • Alimento-me sempre de forma saudável.
  • Eles olharam-se longamente.

Conversão da voz ativa na voz passiva

Na passagem da voz ativa para a voz passiva ocorrem algumas mudanças.

Conversão da voz ativa na voz passiva analítica

  • O sujeito se transforma em agente da passiva.
  • O objeto direto se transforma no sujeito da passiva.
  • O verbo transitivo se transforma em locução verbal.

Exemplo de conversão da voz ativa na voz passiva analítica:

Voz ativa: O diretor alterou o horário de funcionamento da empresa.

O sujeito (o diretor) passa para agente da passiva (pelo diretor).
O objeto direto passa para sujeito da passiva (o horário de funcionamento da empresa).
O verbo transitivo (alterou) passa para locução verbal (foi alterado).

Voz passiva analítica: O horário de funcionamento da empresa foi alterado pelo diretor.

Conversão da voz ativa na voz passiva sintética

  • O objeto direto se transforma no sujeito da passiva.
  • O sujeito se transforma na partícula apassivadora se.
  • Não há agente da passiva e o verbo transitivo mantém-se.

Exemplo de conversão da voz ativa na voz passiva sintética:

Voz ativa: O diretor alterou o horário de funcionamento da empresa.

O objeto direto passa para sujeito da passiva (o horário de funcionamento da empresa).
O sujeito (o diretor) passa para partícula apassivadora (se).
Não há agente da passiva e o verbo transitivo mantém-se.

Voz passiva sintética: Alterou-se o horário de funcionamento da empresa.